quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Uma igreja que abalou o mundo Atos 2:42-47


O Pentecostes foi a vinda definitiva e permanente do Espírito Santo para estar com a Igreja, Jesus Cristo subiu e o Espírito Santo desceu. O Espírito Santo veio para habitar na Igreja, para capacitar a Igreja, e para revesti-la de poder para viver e pregar a palavra. No pentecostes, os cento e vinte discípulos que estavam reunidos no cenáculo ficaram cheios do Espírito Santo, e Pedro pregou um sermão cristocêntrico sobre a morte de Cristo, a ressurreição de Cristo, a ascensão de Cristo e o senhorio de Cristo, e nesse sermão houve tal resultado que quase três mil pessoas receberam a Cristo e foram batizadas formando o primeiro rol de membros da igreja primitiva.
A Bíblia nos informa que milagres aconteceram, como, a cura de um coxo; e Pedro prega o seu segundo sermão e o número de membros da igreja vai para cinco mil pessoas. Vem a perseguição, mas a igreja enfrenta a perseguição com oração e com intrepidez na pregação, e a partir daí começa a se multiplicar; milhares e milhares de pessoas vão sendo agregadas à igreja de Deus. Vem as lutas, vem as provas, vem as prisões, vem os açoites, vem os martírios, vem as perseguições de todas as ordens e todos os lados, mas esta igreja avança no Poder do Espírito Santo, torna-se irresistível. Curiosamente, a Palavra de Deus vai nos mostrar que essa igreja sai do contexto judaico, passa por Samaria, avança por Antioquia da Síria, percorre todo o Império Romano e chega à Capital de Roma, e em poucas décadas, essa igreja formada de gente procedente de pessoas escravas, sem a mídia, sem poder político, sem influência da aristocracia, vai ganhando espaço, vai penetrando, vai alcançando horizontes mais
largos, e em poucas décadas o evangelho de Cristo penetra em todos os corredores do Império Romano.
Vamos partilhar agora, algumas características desta igreja que abalou o mundo, desta igreja que enfrentou açoites, prisões, ameaças, martírios, sendo que o sangue dos mártires tornou-se a sementeira do Evangelho. Percebemos que esta igreja que abalou o mundo tem algumas características muito claras. E o texto base (Atos 2:42-47) vai identificar quais são essas marcas:
Em primeiro lugar, era uma igreja comprometida com a palavra de Deus. “A igreja perseverava na doutrina dos Apóstolos”. Hoje, muitas vezes, a igreja contemporânea, negocia doutrina para alcançar o crescimento. A igreja primitiva entendia que a doutrina dos Apóstolos era o alicerce do crescimento da igreja. É triste quando nós constatamos hoje que a igreja está se tornando cada vez mais pragmática e cada vez menos fiel, buscando mecanismos modernos para agradar o povo e as pessoas hoje estão cada vez mais negociando a verdade, transigindo com a sua consciência, pregando o que o povo quer ouvir e não o que o povo precisa ouvir, pregadores muito mais interessado no lucro do que na verdade, e dessa forma muitas vezes as pessoas estão buscando não o que é verdade mas o que funciona, não o que é certo mas o que dá certo; a igreja hoje está cheia de gente e vazia de Deus, muito ajuntamento mas pouca conversão, muitos agrupamentos e multidões ao redor de muitas outras coisas, exceto focada e concentrada na verdade de Deus. A igreja fiel não abre mão da verdade, não negocia a verdade, a doutrina é a base, é o alicerce de todo esse edifício, a igreja está edificada sobre o fundamento dos Apóstolos, ela persevera na doutrina dos Apóstolos, e a doutrina dos Apóstolos é o que nós temos hoje na escritura, é aquilo que nós temos
hoje registrado no novo testamento como Canon Sagrado, como verdade inspirada, como verdade revelada, infalível, suficiente e inerrante.
Em segundo lugar, a igreja que abalou o mundo perseverava na oração. Esta igreja era uma igreja que tinha doutrina, mas também era uma igreja que tinha oração. Hoje muitas vezes, aqueles que são zelosos da doutrina, são negligentes na oração; tem a cabeça cheia de luz mas tem o coração vazio de fogo, tem conhecimento mas não tem piedade, tem conhecimento profundo das verdades mais gloriosas, mas não transforma essa verdade em prática; é preciso entender que a igreja não pode avançar vitoriosamente sem oração, dependemos mais dos recursos de Deus do que dos nossos recursos, o poder não vem do conhecimento humano, nem da destreza humana, nem das estratégias humanas, o poder vem de Deus; não há pregação poderosa sem oração, é por isso que os Apóstolos entenderam que eles deveriam se concentrar na oração e no ministério da palavra. A igreja em Atos é uma igreja que ora, em Atos 1:14 diz que “todos perseveravam unânimes em oração”, e o pentecostes veio em cumprimento da promessa do Pai, e em resposta a oração da igreja. A igreja ora em Atos 4:31, e diz a Bíblia que diante da perseguição eles pedem mais intrepidez e mais poder para pregar a palavra, e enquanto oram a casa treme e eles, cheios do Espírito Santo passam a pregar com ousadia. A liderança da igreja entende: “quanto a nós nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra”. A Bíblia diz que Pedro estava preso em Jerusalém, mas a igreja estava orando por ele; Saulo se converte e começa a orar; a Bíblia diz que houve uma reunião de oração na cidade de Filipos e o coração de Lídia é aberto; houve uma reunião de oração na prisão, e diz a Bíblia que as portas da prisão se abrem e o carcereiro é convertido a Cristo. A igreja em Atos avança de joelhos, é uma igreja
comprometida com a oração, é triste que hoje, às vezes, as reuniões de oração nas igrejas estão morrendo ou são pouco freqüentadas. Nós precisamos entender que a igreja que hora é uma igreja que prega com poder, uma igreja que ora, é uma igreja que depende mais dos recursos de Deus, do que dos recursos da terra.
Em terceiro lugar, uma igreja que abalou o mundo, era uma igreja onde existia comunhão, e “eles perseveravam em comunhão, no partir do pão, nas orações, de casa em casa e no templo”, eles tinham tudo em comum, eles vendiam as suas propriedades e distribuíam àqueles que tinham necessidade, eles tinham o coração aberto e o bolso aberto, as mãos abertas, a mente aberta, a vida aberta para o mover de Deus e para o amor prático entre eles; é muito triste quando nós constatamos ainda hoje, que falta comunhão no meio da igreja de Deus; há muitas divisões, há muitas mágoas, há muitos muros erguidos onde deveriam ter pontes construídas, há muitas igrejas que estão gastando suas energias combatendo umas das outras, falando mal umas das outras, como que lutando domesticamente uns contra os outros, em vez de nos armarmos com a armadura de Deus para resistirmos o verdadeiro adversário das nossas almas. A Bíblia nos diz que nós não lutamos contra a carne ou sangue, mas contra principados e potestades, nós deveríamos estar unidos com aqueles que professam a fé em Cristo Jesus, aqueles que professam que Jesus veio em carne, que Jesus é o filho de Deus, que nós só cremos em uma palavra, a Bíblia sagrada, a Palavra de Deus, a nossa única regra de fé e prática, que tem uma só fé, um só batismo, um só Senhor, um só Deus e Pai, nós somos irmãos, nós somos ovelhas do mesmo rebanho, nós somos membros da mesma família, nós deveríamos trabalhar coesos e unidos para promoção da proclamação do evangelho e
do estabelecimento do Reino de Deus. É bem verdade que nós temos as nossas denominações, e as amamos e velamos por elas, mas deveríamos cultivar tanto na igreja local, quanto em um contexto maior, este espírito de comunhão, de fraternidade e amor uns pelos outros; foi este amor de comunhão que impactou a igreja e o mundo naquela época através da igreja; a palavra do mundo era esta: “vede como eles se amam”, era uma só família, um só povo, um só rebanho, uma só igreja de um Deus vivo a testemunhar para o mundo.
Em quarto lugar, esta igreja era uma igreja que caminhava no temor de Deus, com reverencia, e experimentava os milagres de Deus; muitos sinais e prodígios eram feitos por intermédio dos Apóstolos. É importante entender que essa igreja tinha reverencia, tinha respeito e temor pelo Nome de Deus, era uma igreja que levava Deus a sério, que levava uma vida de piedade, uma igreja que se apartava do mal, que abominava o pecado, que impactava o mundo não porque era amiga do mundo, mas porque era sal da terra e luz do mundo, e na medida em que essa igreja vivia em novidade de vida, não sendo amiga do mundo, não se conformando com o mundo, não amando as coisas que há no mundo, vivendo uma vida de santidade e pureza, nesta igreja Deus operava maravilhas, os Apóstolos eram usados por Deus para operar prodígios e milagres, curas eram feitas, paralíticos andavam, os coxos saltavam, as vidas eram impactadas, conversões maravilhosas aconteciam, e Deus operava maravilhas no meio daquela igreja. É preciso dizer hoje, que o nosso Deus é o mesmo ontem, hoje e para sempre o mesmo, Deus não é o Deus que ficou apenas preso ao passado, ele age hoje, ele age por meio da sua igreja; não estamos dizendo com isso que os milagres são o evangelho, a igreja cresceu pela pregação genuína e fiel das escrituras,
mas nós não podemos ser céticos a ponto de pensar que Deus não possa agir mais hoje, pois Deus é o Soberano Senhor do Universo, e Ele faz todas as coisas conforme o conselho da Sua vontade.
Em quinto lugar, essa igreja era conhecida como uma igreja que louvava a Deus com entusiasmo, essa igreja tinha um culto vivo, esta igreja celebrava a Deus com entusiasmo, com alegria efusiva, era uma igreja cheia do Espírito Santo de Deus, muitas vezes hoje, nós estamos transformando os cultos em shows, transformando os cultos em palcos, transformando a liturgia em celebração parecida com a celebração mundana; é preciso dizer que a alegria de Deus não é contrária a reverência, a alegria de Deus é pura, é santa, esta igreja celebra com entusiasmo, com alegria, com gozo, com festa espiritual na alma, porque esta igreja conhecia a Deus, amava a Deus e estava realmente proclamando as virtudes de Deus através dos seus louvores. Quantas vezes hoje nós estamos vivendo extremos, ou as pessoas transformam o culto em um show, onde as artes cênicas dominam a liturgia, ou outras vezes existe uma solenidade morta, cultos lúgubres, tristes, fúnebres, quando na verdade o povo de Deus deve celebrar com entusiasmo e com alegria.
Finalmente, em sexto lugar, esta igreja era uma igreja que contava com a simpatia de todo o povo e crescia em números. Não contava com a simpatia do mundo porque se conformava com ele não, mas o mundo olhava para esta igreja e via que os homens eram melhores homens e melhores maridos, as mulheres melhores esposas, os jovens melhores filhos, os homens melhores empregados, melhores patrões, melhores cidadãos; a igreja de fato era uma igreja viva que dava testemunho para a sociedade, o resultado, é que Deus acrescentava dia a dia os que iam
sendo salvos, é Deus quem acrescenta à igreja os que vão sendo salvos, o crescimento da igreja não é administrado por nós, é obra de Deus; um planta, outro rega, mas é Deus quem dá o crescimento, o crescimento da igreja é conseqüência de um estilo de vida vivido por esta igreja, Deus é o Deus que conduz o seu povo em triunfo, Deus é o Deus que elege, Deus é o Deus que chama, Deus é o Deus que justifica, Deus é o Deus que transforma, Deus é o Deus que realiza maravilhas para que a Sua igreja cresça numericamente e espiritualmente. Esta foi a igreja que abalou o mundo.
Rev. Hernandes Dias Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...